Covid-19: doses de vacina de reforço fornecem alto nível de proteção contra morte por Ômicron: diferenças entre revisões

Recolocando o meu texto conforme nota na pagina de discussao
Sem resumo de edição
(Recolocando o meu texto conforme nota na pagina de discussao)
Os dados mais recentes da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA) mostram que as doses de reforço reduzem significativamente o risco de morte com a [[w:Variante Ómicron do SARS-CoV-2|variante Ômicron do SARS-CoV-2]].
 
Os resultados mostram que cerca de 6 meses após uma segunda dose de qualquer uma das vacinas contra o coronavírus (COVID-19), a proteção contra a morte da Ômicron foi de cerca de 60% naqueles com 50 anos ou mais. No entanto, isso aumentou para cerca de 95%, 2 semanas após receber uma dose de reforço.
 
Os dados continuam mostrando altos níveis de proteção contra hospitalização de reforço. Após uma dose de reforço da Pfizer (após qualquer esquema de vacinação primária), a eficácia da vacina contra a hospitalização começou em cerca de 90%, caindo para cerca de 75% após 10 a 14 semanas.