EUA sancionam seis autoridades por repressão em Hong Kong

16 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Em resposta à repressão de 6 de janeiro contra políticos e ativistas pró-democracia em Hong Kong, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou sanções a seis autoridades chinesas e de Hong Kong na sexta-feira por seus supostos papéis.

Segundo a Lei de Segurança Nacional de Hong Kong, que os Estados Unidos classificaram de "draconiana", mais de 50 pessoas foram presas, incluindo 13 ex-legisladores, um advogado estadunidense e um ex-professor de direito, que mais tarde foram libertados sob fiança.

"Esta ação das autoridades de Hong Kong é outro exemplo de como as liberdades e os processos democráticos de Hong Kong estão sendo fundamentalmente minados pela China", disse Pompeo em um comunicado.

“Os Estados Unidos exortam a República Popular da China e as autoridades de Hong Kong a libertar imediatamente os indivíduos que foram acusados ​​de acordo com a nova lei de segurança aprovada em junho passado e outras leis pelo simples exercício de seus direitos e liberdades", disse Pompeo, acrescentando que aqueles que erodem "as liberdades e os processos democráticos de Hong Kong" continuarão a ser responsabilizados.

Funcionários sancionados serão proibidos de viajar para os Estados Unidos ou acessar o sistema financeiro norte-americano.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: