EUA e Rússia expressam preocupação com conflito entre Turquia e milícia curda

25 de novembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os Estados Unidos expressaram preocupação com a possível escalada do conflito da Turquia contra as milícias curdas na Síria.

"Recentes ataques aéreos na Síria ameaçaram a segurança do pessoal dos EUA que trabalha com nossos parceiros regionais na Síria para derrotar o grupo extremista islâmico ISIS e manter a detenção de mais de 10.000 membros do ISIS", disse o porta-voz do Pentágono, Patrick Ryder, em comunicado ontem (23). “Eles foram ameaçados diretamente”, disse ele.

“A resolução imediata do conflito é necessária para garantir a missão de derrotar o ISIS e a segurança do pessoal terrestre dedicado a esta missão”, disse Ryder.

A Rússia também pediu à Turquia que se abstenha de um ataque terrestre em grande escala à Síria.

O negociador russo Alexander Lavrentiev disse após a reunião de ontem com os negociadores turcos e iranianos no Cazaquistão: "Espero que nossas discussões cheguem a Ancara e que outras maneiras de resolver esta questão sejam encontradas".

Ele disse que os Estados Unidos estão seguindo um caminho "destrutivo" no nordeste da Síria e que "resolver a questão curda é um componente importante da estabilidade regional".

Os Estados Unidos estão apoiando a milícia curda na luta contra o Estado Islâmico na Síria. Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan disse que as operações aéreas contra as milícias curdas no norte da Síria eram apenas o começo e que as forças terrestres seriam lançadas no momento apropriado.

Fontes