Dez dias depois de perder, Trump continua dizendo que eleições foram roubadas; Twitter continua moderando

17 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Dez dias após perder as eleições presidenciais para o democrata Joe Biden, Donald Trump continua dizendo que os democratas "roubaram" o pleito e que ele venceu a disputa. O ainda presidente dos Estados Unidos tem usado o Twitter para fazer as alegações, sem, no entanto, apresentar qualquer prova, o que tem obrigado a rede social a moderar suas postagens.

Desde ontem, Trump teve outras seis (06) publicações sinalizadas pelo Twitter com o aviso "esta alegação sobre fraude é contestável" (this claim about election fraud is disputed).

Joe Biden foi considerado vencedor no dia 07 de novembro, após ter conseguido 284 delegados (são necessários 270) ao vencer na votação popular no estado da Pensilvânia.

Ele será oficializado presidente em dezembro, quando todos os delegados declararem seus votos, e tomará posse em 20 de janeiro de 2021.

As últimas postagens moderadas

  1. "Pessoas mortas votaram." (17/11)
  2. "A taxa de cédulas de correio rejeitadas é 30x mais baixa na Pensilvânia este ano do que em 2016. É por isso que eles mantiveram nossos observadores e observadores fora das salas "SAGRADAS" de contagem de votos!" (16/11)
  3. A Geórgia não vai deixar que olhemos as assinaturas. Sem isso, a recontagem não tem sentido. Abra o decreto de consentimento inconstitucional, AGORA! @BrianKempGA." (16/11 - Brian é o governador da Geórgia)
  4. "Os Democratas da Esquerda Radical, trabalhando com sua parceira, a imprensa das Fake News, estão tentando ROUBAR esta eleição. Não vamos deixá-los!" (16/11)
  5. "A falsa recontagem que está acontecendo na Geórgia não significa nada porque eles não estão permitindo que as assinaturas sejam examinadas e verificadas. Quebre o Decreto de Consentimento que é inconstitucional!" (16/11)
  6. "Eu venci a eleição." (16/11)

Chance de fraude é quase nula

Até agora não foram, oficialmente, encontradas fraudes nas eleições deste ano, apesar da recontagem que já foi feita em alguns estados, como na Geórgia.

No dia 07 de novembro, a advogada Ellen Weintraub, membra da Comissão Eleitoral Federal (Federal Election Commission - FEC) desde 2002, já havia dito que "não há provas de qualquer tipo de fraude eleitoral".

Leia na Wikipedia

Leia o artigo Colégio eleitoral dos Estados Unidos na Wikipedia para entender como funciona a escolha do presidente.


Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia: