Conflito no Senegal desloca milhares

18 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O exército do Senegal lançou uma nova ofensiva destinada a desmantelar um grupo rebelde separatista na região sul do país, causando a fuga de mais de 2.000 pessoas. A operação militar ocorre menos de dois meses depois que os rebeldes mataram quatro soldados senegaleses e capturaram outros sete.

O exército senegalês iniciou sua ofensiva em 13 de março com o objetivo de desmantelar as bases de grupos rebeldes ao longo da fronteira da Gâmbia. Os rebeldes, conhecidos como MFDC, ou Movimento das Forças Democráticas de Casamança, são suspeitos de traficar cannabis e pau-rosa, que é exportado para a China, a fim de financiar seu movimento separatista.

Na terça-feira, o último surto deixou mais de 2.000 pessoas deslocadas.

Alasan Senghore, secretário-geral da Sociedade da Cruz Vermelha da Gâmbia, diz que este último episódio de luta é um dos piores que ele já viu.

“Há medo e pânico porque os combates acontecem na maioria das vezes. Há tiros e também helicópteros sobrevoando. As pessoas estão abandonando suas aldeias”, disse ele.

O conflito é um dos mais antigos da África. Começou em 1982 e desde então já custou milhares de vidas.

O presidente senegalês Macky Sall fez de “alcançar a paz” com Casamança uma prioridade para seu segundo mandato.

Fontes