Cimeira da SADC para analisar presença militar em Moçambique adiada para o dia 12

6 de janeiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A cimeira extraordinária dos chefes de Estado da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) marcada para amanhã, 7, de forma virtual, para discutir a renovação ou do mandato da força militar da organização, SAMIM, em Moçambique, foi adiada para a próxima quarta-feira, 12.

Agora, segundo um nota divulgada nesta quinta-feira, 6, pela organização, a cimeira será presencial e realiza-se na capital do Malawi, Lilongue.

A reunião será dirigida pelo chefe de Estado do Malawi, Lazarus Chakwera, que é presidente em exercício da SADC.

Na terça-feira, 11, será realizada a cimeira extraordinária da troika, integrada por Botswana, Namíbia e África do Sul, e o Conselho de Ministros Extraordinário da organização também terá lugar no mesmo dia.

A SAMIM está em Cabo Delgado desde o fim de Julho para ajudar as Forças de Defesa e Segurança de Moçambique a combater os terroristas que desde Outubro de 2017 provocaram a morte de cerca de três mil pessoas, o deslocamento de mais de 850 mil e muita destruição de infraestruturas e propriedades.

Desde Agosto, os cerca de dois militares da força estão no terreno, bem como um contingente semelhante do Rwanda, que entrou em acção em Julho.

Fontes