Brasil: PRF se irrita com a Wikipédia devido ao artigo de seu diretor-geral, Silvinei Vasques

16 de novembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não para de se envolver em polêmicas desde o dia da eleição, 30 de outubro passado, quando houve diversas denúncias de que centenas de bloqueios em estradas federais estariam impedindo os brasileiros de chegarem às seções eleitorais para votarem. Como apurado, das mais de 600 interrupções, mais de 50% ocorreram em regiões e cidades onde a maioria da população votou no candidato Luiz Inácio Lula da Silva, incluindo no Nordeste.

Os bloqueios, considerados ilegais pelo STE, levaram políticos ao Twitter para pedir a imediata liberação das vias, tendo o Ministro Alexandre de Moraes na primeira hora da tarde emitido uma ordem para que o diretor-geral do órgão Silvinei Vasques, que realizou publicação apoiando Bolsonaro e em seguida excluiu, se apresentasse na sede do Tribunal Superior Eleitoral para dar explicações e cancelasse imediatamente a ordem para a revista de veículos. O termo "deixa o nordeste votar" entrou nos trend topics no Twitter aquela tarde.

Silvinei entrou, então, na mira de autoridades, que realizaram uma investigação que ontem levou o Ministério Público Federal (MPF) a pedir seu afastamento temporário do cargo e sua condenação por improbidade administrativa. O MPF afirmou que é possível que a conduta do diretor tenha contribuído para o clima de instabilidade e confronto durante e depois das eleições.

A PRF, no entanto, informou hoje que o diretor-geral havia saído de férias, sem dar uma data para sua volta.

Além disto, no dia 13 passado, a Wikipédia recebeu um ofício da PRF pedindo que o artigo Silvinei Vasques fosse excluído e identificado os editores que haviam adicionado as informações de que Silvinei era bolsonarista e que a PRF havia sido omissa na atuação para acabar com os bloqueios nas estradas.

Notícias Relacionadas

Fontes