Bombardeio do Estado Islâmico mata 8 xiitas em Cabul

6 de agosto de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Uma poderosa bomba explodiu na sexta-feira perto de uma reunião religiosa muçulmana xiita em Cabul, no Afeganistão, matando pelo menos oito civis e ferindo outros 18.

A filial regional do grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque.

Testemunhas oculares disseram que membros do grupo minoritário, incluindo mulheres e crianças, estavam em oração em um bairro dominado por xiitas no oeste da capital afegã quando a explosão ocorreu.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, no Twitter confirmou o número de vítimas, dizendo que a bomba foi colocada em um carrinho e que todas as vítimas eram “civis inocentes”.

O governo “condena veementemente esse ato covarde”, disse Mujahid, acrescentando que o ataque foi obra dos “inimigos do Islã” e do Afeganistão.

O ramo afegão do Estado Islâmico, conhecido como Estado Islâmico Província de Khorasan ou ISIS-K, reivindicou o atentado mortal e disse que matou e feriu 20 pessoas.

Protestos anti-EUA

O atentado ocorreu no dia em que os afegãos saíram às ruas nas principais cidades, incluindo Cabul, para protestar contra um ataque de drone norte-americano que matou o líder da Al Qaeda Ayman al-Zawahiri no início do domingo.

Imagens da TV estatal afegã mostraram manifestantes carregando faixas com os dizeres “EUA é mentiroso”, “Abaixo os EUA” e “Joe Biden, pare de mentir”. Os líderes do comício condenaram o ataque aéreo como uma violação da soberania afegã e do direito internacional.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou na segunda-feira o assassinato do mentor de 71 anos.

O Talibã disse que o ataque de drone foi uma violação do direito internacional e do acordo que eles assinaram com os EUA em fevereiro de 2020 no Catar, que pedia a retirada das tropas dos EUA em troca das garantias de contraterrorismo do então grupo insurgente.

Fontes