Bomba em mesquita afegã causa dezenas de vítimas

18 de agosto de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Autoridades do Talibã e fontes de hospitais no Afeganistão disseram na quarta-feira que uma poderosa explosão de bomba atingiu uma mesquita lotada na capital, Cabul, durante as orações da noite, causando dezenas de vítimas.

Khalid Zadran, porta-voz da polícia da cidade, disse à VOA que “há baixas e fatalidades”, mas não deu mais detalhes. Equipes de inteligência e investigadores chegaram ao local da explosão e as investigações estão em andamento, acrescentou.

Várias fontes relataram que pelo menos 20 fiéis foram mortos e muitos outros ficaram feridos no que supostamente foi uma explosão suicida. Maulvi Amir Mohammad Kabuli, um renomado estudioso afegão e pregador do islamismo sufi, estaria entre os mortos.

Uma testemunha ocular e policiais foram citados como confirmando à Associated Press a morte de pelo menos 10 pessoas, incluindo Kabuli. Autoridades do Taleban não comentaram sobre as vítimas.

O principal porta-voz do grupo governante, Zabihullah Mujahid, condenou o ataque mortal, dizendo que “os autores de tais crimes em breve serão levados à justiça e serão punidos”.

Ninguém assumiu imediatamente a responsabilidade pelo ataque à mesquita Siddiquiya, no bairro de Kher Khanna, no norte de Cabul.

As suspeitas recaíram sobre o autoproclamado grupo terrorista Estado Islâmico, no entanto, que condena os muçulmanos que praticam o sufismo como politeístas.

A Província de Khorasan do Estado Islâmico (ISIS-K), afiliada afegã do Estado Islâmico, intensificou os ataques no Afeganistão desde que o Taleban tomou o poder há um ano. A organização terrorista realizou ataques a bomba contra combatentes e civis do Talibã, particularmente muçulmanos xiitas afegãos minoritários que o ISIS-K denuncia como apóstatas.

Na semana passada, um homem-bomba do Estado Islâmico matou um proeminente e altamente respeitado estudioso do Talibã dentro de seu seminário islâmico, ou madrassa, em Cabul.

Fontes