Biden e líder do Catar discutem fornecimento de energia para a Europa

2 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente dos EUA, Joe Biden, e o xeique Tamim bin Hamad Al Thani, do Catar, se encontraram na Casa Branca na segunda-feira. Na vanguarda de suas conversas estavam as discussões sobre o fornecimento de gás natural do Catar para a Europa no caso de um ataque russo à Ucrânia.

Pouco antes de sua reunião, Biden descreveu o Catar como um "grande aliado não-OTAN" e o emir como "um bom amigo e parceiro confiável".

“Estamos comprometidos com sua nação e nossa amizade”, disse Biden ao sheikh Tamim.

O emir, o primeiro líder do Golfo Pérsico a se encontrar com Biden em Washington durante sua presidência de um ano, disse que o Catar e os EUA têm "um relacionamento muito forte". Sheikh Tamim disse que planeja discutir "direitos iguais para os palestinos" com Biden e maneiras de buscar a paz no Oriente Médio.

O momento da reunião não é uma coincidência, já que os EUA e aliados ocidentais temem que, se imporem severas sanções econômicas à Rússia em resposta a uma invasão da Ucrânia, o presidente russo, Vladimir Putin, retaliaria cortando o fornecimento de energia aos países da Europa Ocidental.

A Rússia fornece cerca de um terço das necessidades energéticas da Europa Ocidental. O Catar, um país de cerca de 2,9 milhões de habitantes, é o segundo maior exportador mundial de gás natural liquefeito, um pouco atrás dos Estados Unidos, e desempenha um papel importante nos mercados mundiais de energia.

Como Doha já tem contratos de energia com países asiáticos, analistas dizem que não está claro se o Catar tem capacidade de produção de gás para também ajudar a abastecer a Europa.

Os EUA e aliados ocidentais têm tentado estabelecer várias contingências no caso de Moscou invadir a Ucrânia. Embora a Rússia diga que não tem planos de atacar a Ucrânia, acumulou mais de 100.000 soldados no flanco leste da Ucrânia. Autoridades dos EUA dizem que uma invasão pode ocorrer a qualquer momento.

Além das conversas com Biden e o secretário de Estado Antony Blinken, o xeque Tamim também deve se reunir na segunda-feira com o secretário de Defesa Lloyd Austin, o secretário de Segurança Interna Alejandro Mayorkas e membros-chave do Congresso.

As conversas de Biden com o emir acontecem quando os EUA buscam um caminho para lidar com o governo do Taleban no Afeganistão depois que os EUA fugiram do país em agosto, em um final caótico de sua guerra de 20 anos no país. O Catar é o representante dos EUA em Cabul desde então e inicialmente abrigou 60.000 refugiados afegãos que procuravam emigrar para os EUA

Biden e sheikh Tamim também devem discutir as tentativas em andamento dos EUA de se juntar ao tratado internacional para restringir o programa nuclear do Irã, do qual o ex-presidente dos EUA Donald Trump se retirou.

Em sua visita a Washington, o xeique Tamim também deveria pressionar os EUA a aprovar o pedido do Catar para comprar drones Predator e caças furtivos F-35 americanos.

Fontes