19 de novembro de 2023

Bebê atendido em Hospital Shifa
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Pelo menos 31 bebês prematuros e muito doentes foram evacuados do Hospital Shifa, em Gaza, e transportados para um hospital no Egito, informou a Organização Mundial da Saúde no domingo.

As forças israelenses invadiram o hospital na semana passada como parte de suas operações militares contra militantes do Hamas. Uma equipe da Organização Mundial da Saúde visitou Shifa no sábado por uma hora e disse que o que era “outrora o maior, mais avançado e mais bem equipado hospital de Gaza” era agora uma “zona de morte”.

Os militares de Israel têm procurado no Hospital Shifa o que acreditam ser um centro de comando do Hamas que alegadamente estava localizado sob o edifício - uma afirmação que o Hamas e o pessoal do hospital negam.

Entretanto, dois palestinianos foram mortos durante a noite em ataques israelitas à Cisjordânia ocupada.

Michael Herzog, embaixador nos EUA, disse para ABC que Israel está “esperançoso de que possamos libertar um número significativo de reféns [detidos pelo Hamas] nos próximos dias”. No entanto, Herzog recusou-se a pedir qualquer cessar-fogo.

Dezenas de civis palestinos deslocados foram mortos ou feridos no sábado em ataques aéreos israelenses, incluindo um contra uma escola no campo de refugiados de Jabaliya, no norte de Gaza, informou a Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras para Refugiados da Palestina.

"As cenas foram horríveis. Cadáveres de mulheres e crianças estavam no chão. Outros gritavam por ajuda", disse o sobrevivente ferido Ahmed Radwan à Associated Press por telefone sobre o ataque de Israel à escola de Fakhoura. Fotos de um hospital local mostraram mais de 20 corpos envoltos em lençóis manchados de sangue.

"Esses ataques não podem se tornar comuns, eles devem parar. Um cessar-fogo humanitário não pode esperar mais", postou no sábado o comissário-geral da UNRWA, Philippe Lazzarini, na plataforma de mídia social X.

Em resposta, os militares israelitas disseram apenas que as suas tropas estavam ativas na área de Jabaliya “com o objectivo de atingir terroristas” enquanto tentavam minimizar as mortes de civis.

No sábado, os militares alertaram os civis em partes do sul de Gaza para saírem de suas casas.

Fontes editar