Atirador mata dois em Israel, suspeito morto pelas autoridades

8 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O primeiro-ministro de Israel disse na sexta-feira que o agressor que atirou e matou dois jovens em um bar de Tel Aviv tinha cúmplices e prometeu uma resposta dura ao ataque.

“Todo assassino sabe que vamos encontrá-los. Todos que ajudam um terrorista devem saber que pagarão um alto preço”, disse o primeiro-ministro israelense Naftali Bennett.

O atirador era um palestino de 29 anos de Jenin que estava em Israel ilegalmente.

O tiroteio é o mais recente de uma série de ataques palestinos que deixaram 13 pessoas mortas e deixaram muitos israelenses no limite.

O atirador foi baleado e morto após uma caçada que durou a noite toda, incluindo soldados das forças especiais indo de porta em porta. Autoridades disseram que o agressor abriu fogo em um bar no coração de Tel Aviv, capital financeira e cultural de Israel, matando dois jovens israelenses, amigos de infância que estavam tomando uma cerveja.

Muitos palestinos, incluindo o pai do atirador – um ex-oficial dos Serviços de Segurança Palestinos – comemoraram.

“A vitória virá em breve”, disse Fathi Hazen a uma multidão após o ataque. Ele pediu a Deus para libertar a mesquita al-Aqsa dos ocupantes.

A mesquita de al-Aqsa, na Cidade Velha de Jerusalém, é o terceiro local mais sagrado do Islã e tem sido um foco frequente de confrontos entre fiéis palestinos e soldados israelenses.

Na sexta-feira, a primeira sexta-feira do Ramadã, Israel limitou o acesso ao local a mulheres e homens com mais de 50 anos e as orações terminaram em silêncio.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, condenou o ataque – a segunda vez que ele condenou um recente ataque terrorista. Mas o especialista em inteligência israelense Kobi Michael disse que Abbas perdeu o controle de grupos radicais como a Jihad Islâmica, que estão ativos na área de Jenin, de onde o atirador veio. Ele também diz que os extremistas palestinos estão constantemente tentando realizar ataques terroristas.

“Estes são apenas quatro ataques que tiveram sucesso onde centenas, centenas de ataques terroristas foram evitados nos últimos meses ou no ano passado pelos serviços de segurança israelenses”, disse Michael. “Então eles não conseguiram cometer ataques terroristas, não conseguiram matar judeus, não conseguiram penetrar no Estado de Israel com armas porque fizemos um bom trabalho. Agora, infelizmente, conseguiram.”

O ataque em Tel Aviv foi o quarto em duas semanas que deixou pelo menos 13 mortos e minou a sensação de segurança de muitos israelenses. Israel colocou milhares de policiais e soldados nas ruas para tentar impedir futuros ataques.

Fontes