15.000 pessoas desaparecidas na invasão da Ucrânia, diz comissão

25 de novembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Cerca de 15.000 ucranianos estão desaparecidos durante o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, de acordo com a Comissão Internacional sobre Pessoas Desaparecidas (ICMP).

Matthew, diretor do programa europeu da Comissão, apresentou em entrevista à Reuters ontem (24), dados de quantas pessoas, inclusive vivas, foram deportadas ou detidas pelas forças da Rússia.

O número do ICMP é conservador, segundo ele, já que as autoridades estimam que 25.000 pessoas estão mortas ou desaparecidas apenas na cidade portuária ucraniana de Mariupol.

Ele disse que a busca por pessoas desaparecidas continuaria por muitos anos após o fim da invasão.

O ICMP, com sede em Haia, Holanda, é uma organização internacional que lida com a questão de pessoas desaparecidas devido a conflitos armados, violações de direitos humanos e desastres naturais entre países.

Enquanto isso, a Ucrânia confirmou a morte de conselheiros militares iranianos enviados à Crimeia para supostamente treinar forças russas no uso de drones, informou o jornal britânico The Guardian ontem.

O conselheiro de segurança nacional ucraniano, Oleksi, disse ao jornal que os conselheiros militares iranianos assassinados estavam ajudando a operar o drone Shahed-136.

Fontes